Escolha o produto certo para a pintura

Fachada no tom Crisântemo Amarelo, da Suvinil Sempre Nova: tinta especial para áreas externas

Fachada no tom Crisântemo Amarelo, da Suvinil Sempre Nova: tinta especial para áreas externas

Chegou a hora de pintar a casa? Há tintas para todos os gostos. De uma infinidade de cores a tipos específicos para diferentes materiais, incluindo produtos para preparar paredes e outras superfícies, a variedade de itens que o mercado oferece abrange todas as finalidades.

Vale a pena investir em bons produtos e acabamento caprichado. Quando bem planejada e executada, a pintura valoriza o imóvel e proporciona maior apelo decorativo e conforto aos moradores. A pintura é um dos serviços mais solicitados pelos clientes da rede Praquemarido, especializada em serviços para manutenção de imóveis.

“É preciso ter atenção a detalhes da estrutura do imóvel”, explica a arquiteta da rede, Rosemeire Albuquerque. Focos de umidade devem ser eliminados antes da pintura.

A sugestão é utilizar produtos antimofo e lixar a parede para retirar o que estiver descascando. Depois, aplicar massa corrida e lixar novamente para nivelar.

Para rachaduras, explica Rosemeire, a massa corrida tampa pequenos orifícios. Cimento ou gesso são indicados para rachaduras maiores.

Fachadas

O lançamento recen­­te da Suvinil é para áreas externas. Segundo o fabricante, os produtos Sempre Nova e Proteção Total são mais resistentes do que as tintas convencionais, dando proteção às paredes expostas ao clima, poluição e micro-organismos.

De acordo com a Suvinil, a tinta Sempre Nova é mais indicada para áreas urbanas, pois diminui a penetração da sujeira e possui impermeabilizante.

Para áreas úmidas, como regiões litorâneas ou montanhosas, o fabricante indica a tinta Suvinil Proteção Total, composta por filme 100% elástico. O produto previne microfissuras e acompanha o movimento da superfície, resistindo bem às dilatações causadas por mudanças de temperatura. Além disso, tem propriedades que resistem ao mofo e à maresia e impermeabilizante que garante mais durabilidade.

Recomendações

Seguir recomendações técnicas de fabricantes garante que o uso do produto dê resultado. O site da Futura Tintas, por exemplo, traz dicas de manutenção do imóvel e preparação das paredes durante o período de chuvas, que traz maior risco de proliferação de fungos e mofo devido ao clima úmido.

Felipe Comelatto, técnico em produtos da Futura, explica que é preciso limpar bem o local afetado por focos de mofo. “Para infiltrações e umidade, o uso de impermeabilizantes na superfície é recomendável. Uma alternativa é utilizar texturas que, além de impedir a penetração de água, conferem um acabamento sofisticado”, observa.

Como fazer

Confira dicas para pintura da casa

• Mofo: limpar a superfície mofada com solução de água sanitária e água potável na proporção de 1:1, enxaguar e aguardar a secagem.

• Prevenção: para evitar transbordamentos e umidade nas paredes externas, verifique periodicamente as calhas.

• Ambientes: colocar pequenos pedaços de carvão nos locais da casa que são utilizados como pequenos depósitos, pois o carvão ajuda a absorver a umidade.

• Fachada: as tintas indicadas para paredes externas são as acrílicas. O acabamento semibrilho é mais resistente e realça as imperfeições. A fosca disfarça melhor os defeitos, mas tem menor resistência à ação do sol e da chuva.

• Preparação: antes de pintar, parede deve estar limpa, seca e em bom estado. É necessário corrigir problemas de infiltração, rachaduras e partes soltas antes da pintura. Prepare a superfície com selador, fundo preparador ou massa.

• Correções: em superfícies com bom nivelamento de reboco ou massa acrílica, a pintura dá bom resultado. Quando há imperfeições que comprometam o aspecto estético da fachada, a textura contribui com a estética.

• Superfícies: é preciso ficar atento aos materiais da fachada. Se houver pedras, granito, madeira ou outras superfícies, é preciso escolher a opção correta de tinta ou produto adequado.

• Cor: a arquiteta Rosemeire Albuquerque diz que não existe tom certo ou mais adequado para pintar a fachada; o gosto pessoal dos moradores deve ser levado em consideração. Quem não gosta de tons terrosos, pode optar pelos acinzentados, verdes e azuis claros, opções neutras que agradam.

• Efeito: vale a pena testar a tinta em uma área menor antes de comprar em quantidade. Dependendo da superfície, o efeito final pode ficar diferente do catálogo.

• Quantidade: Rosemeire ensina a medir o comprimento da parede e multiplicar pelo pé direito (altura do chão ao teto). Depois, multiplicar esse valor por três, que é o número médio de demãos. As latas de tintas costumam indicar a área que cobrem, portanto é importante também observar o que diz o fabricante. Um profissional qualificado pode ajudar.

• Materiais: os básicos são: lixa n° 150, lona plástica, fita-crepe, rolo de pintura, caçamba para tinta, tinta, pincel, massa corrida, gesso, misturador, trincha e espátula.

• Mãos à obra: antes de pintar ambientes internos, é preciso remover tomadas, interruptores e outros acessórios de parede, retirar ou cobrir os móveis e espalhar jornais pelo chão. Rosemeire ensina a começar a aplicação da tinta pelos cantos, depois o teto e por fim a parede.

Fonte: Gazeta do Povo

Esta entrada foi publicada em Construção e Roforma. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *