Região de Sorocaba fica em segundo lugar em investimentos no Estado de São Paulo

Recursos anunciados para novas fábricas e ampliações chegaram a R$ 5,7 bilhões no ano passado

A região de Sorocaba ficou empatada com a de São José dos Campos, com 21% de participação cada uma, no total de investimentos realizados no Estado de São Paulo no ano passado por meio de projetos de empresas atendidas pela agência Investe São Paulo. A região de Campinas ocupou a primeira posição, com recursos de mais de R$ 2 bilhões e geração de 3.574 empregos.

A agência Investe São Paulo, do governo paulista, é responsável pela atração de novos empreendimentos. Na região de Sorocaba, os investimentos foram de R$ 710 milhões em 2013 e criação de cerca de 2 mil postos de trabalho, com destaques para as empresas Castrolanda/Batavo (alimentícia) e Toyoda Gosei GDBR (automotiva) em Itapetininga; Metro Schacman (automotiva), em Tatuí; Norac (alimentícia), em Ibiúna.; e TMD Friction (automotiva), em Salto. As regiões de Sorocaba e São José dos Campos superaram a região metropolitana de São Paulo, que teve 13% dos investimentos anunciados.

O destaque na região de Campinas foi a nova fábrica de automóveis da Honda no município de Itirapina, que investirá R$ 1 bilhão e deve contratar cerca de 2 mil funcionários. Em todo o Estado, o número de projetos cresceu 20% em relação a 2012. Foram 24, que totalizaram R$ 5,75 bilhões em construção ou ampliação de suas plantas, com geração de 10.026 novos postos de trabalho. Em 2012, foram 20 projetos, que somaram R$ 4,2 bilhões.

O presidente da Investe São Paulo, Luciano Almeida, observa que o “Estado conta com a melhor infraestrutura logística do País, mão de obra qualificada e uma completa cadeia de fornecedores”, mas o fluxo de investimentos em 2014 não deverá ultrapassar o patamar de 2013. “Começamos o ano com uma carteira de projetos no valor de R$ 9,7 bilhões. Nem todos esses investimentos serão concretizados até o final do ano, já que cada um tem o seu tempo de maturação, e a estimativa é que 2014 seja menos aquecido devido à crise na Europa e da Copa do Mundo no Brasil.”

Região

As cooperativas Castrolanda e Batavo devem investir R$ 120 milhões na primeira unidade de beneficiamento de leite fora do Paraná, em Itapetininga. A pedra fundamental foi lançada em fevereiro do ano passado, com a presença do governador Geraldo Alckmin (PSDB). A empresa deverá gerar 250 empregos diretos e 1.250 indiretos. O leite terá a marca Colônia Holandesa.

Também em Itapetininga, a Toyoda Gosei deve aplicar R$ 90 milhões na construção de fábrica. De origem japonesa, a empresa de autopeças é fornecedora da Toyota e outras montadoras. Deve criar 300 empregos diretos e indiretos. A Toyoda é especializada em peças internas de veículos, painel de instrumentos e airbags.

A Norac – empresa de origem francesa que produz sanduíches naturais, saladas e outros alimentos refrigerados, prontos para o consumo – inaugurou em novembro a fábrica em Ibiúna. Foram R$ 55 milhões em investimentos e a unidade emprega, inicialmente, 55 trabalhadores. A previsão é que, em dois anos, o número de funcionários seja ampliado para 350. A expectativa de faturamento da empresa era de R$ 100 milhões ao ano.

A montadora chinesa Metro Shacman investe R$ 400 milhões em uma fábrica de caminhões em Tatuí, que deverá começar a funcionar este ano. Em valores, é o maior empreendimento industrial anunciado para a região no ano passado. Os caminhões serão da categoria pesados e extrapesados, com potência de 380 a 440 cavalos. A expectativa da empresa é comercializar 10 mil unidades por ano. Devem ser gerados mil empregos diretos.

A TMD Friction, fabricante de pastilhas e lonas de freio, de origem alemã, tem investimentos previstos de R$ 45 milhões em Salto e deve empregar 250 pessoas. A empresa tem fábrica em Indaiatuba e irá transferir a linha de produção, com ampliação da capacidade.

Setores

O setor industrial que mais recebeu recursos no Estado, com o apoio da agência, foi o automotivo, com 25% do total. Em seguida, aparecem alimentos e bebidas e a indústria metalmecânica, ambas com 13%. Já o setor aeroespacial e defesa também aparece bem posicionado, com 9% dos projetos anunciados.

A função da agência Investe São Paulo é estimular a competitividade da economia, a inovação tecnológica, a redução das desigualdades regionais e a geração de emprego. Profissionais especializados em consultoria identificam as necessidades das empresas que querem instalar ou expandir seus negócios no Estado, gratuitamente.

Outras empresas que anunciaram construção de novas unidades ou ampliação são Air Products, Ajinomoto, Dallas Aeronautical Services, Dialight, Dow Chemical Company, GE Transportation, Gruppo Fontana, GV do Brasil Simec, Lenovo, Liebherr, Martifer, Melhoramentos CMPC, Mercedes-Benz, Metal One Shibaura, Natura, Norac, Pirelli Pneus, Toshiba Medical e Wyndham.

Fonte: Cruzeiro do Sul

Esta entrada foi publicada em Qualidade de vida. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *